You are currently browsing the category archive for the ‘fait divers’ category.

Há uns dias que no Abrupto se vem publicando uma série de recortes da censura do outro tempo, em que semi-analfabetos (atendendo à ortografia exibida)  descreviam as notícias que cortavam, com sintético fundamento (imoral, sugestivo, anti-católico, etc…); para grande surpresa minha (ironia, ironia…), parece que já na altura Portugal era um País normal: pessoas que pensavam, que punham em causa o regime estabelecido e os regimes que o Regime estabelecia, suicidas, homicidas e, até,trocadilhos de índole sexual (falo agora da referência aos tumultos provocados pela chegada de Greta Garbo a uma cidade e o comentário «Oh, senhores, não há maneira de deixarem a Greta em paz!»).

Todavia, simultaneamente são publicados os famigerados retratos do trabalho daquela época, fotografia a preto e branco imaculada, sorrisos para a câmara, composições cuidadas, tudo muito tipo «Aldeia da Roupa Branca».

Coisas.

(eu tinha de publicar qualquer coisa, até porque o facto mais marcante de hoje aconteceu à noite no supermercado, observando uma persistente e compulsiva tacteadora de pão, que devia ser cega tal a força com que se agarrava às baguetes,  saltando-lhe eu à frente e salvando um saco de pãezinhos daquelas pinças afiadas com um «desculpe, minha senhora, mas não preciso que me apalpe as bolas»).

Anúncios

Arquivos

Visitas

  • 4.008 , mais coisa menos coisa.
Anúncios